Diretores criticam falta de atuação do Coren-SP, arriscando enfermeiros à Covid-19

Diretores criticam falta de atuação do Coren-SP, arriscando enfermeiros à Covid-19

Os diretores do Conselho Regional de Enfermagem de São Paulo (Coren-SP) Edir Kleber Bôas Gonsaga e Jefferson Caproni afirmam que irregularidades levadas por fiscais ao Conselho não têm continuidade, conforme revelou o portal R7. Em nota ao Portal do PGE, o Coren-SP nega acusações e diz que elas “têm claro apelo político e eleitoral”, pois ambos diretores declaram-se oposição à atual gestão do órgão.

De acordo com a denúncia dos diretores do Coren-SP, o Conselho não atuou para impedir que profissionais corressem risco em unidades com irregularidades, o que pode ter agravado a contaminação de enfermeiros com o novo coronavírus, conforme nota enviada por eles ao R7.

Segundo o comunicado, fiscais dos conselhos regionais atuam periodicamente para identificar possíveis irregularidades em estabelecimentos de saúde onde enfermeiros trabalham. O primeiro passo ao encontrar incorreções é notificar e estabelecer um prazo para a regularização. Depois disso, caso não seja regulado, o Coren-SP é notificado. O presidente do Conselho, então, dá continuidade à demanda.

No entanto, a nota de Gonsaga e Caproni destaca, segundo o R7, que “apesar do trabalho diário desses fiscais e das centenas de infrações encontradas, como falta de equipamentos de proteção individual e o subdimensionamento de pessoal para atender os pacientes infectados, o Coren-SP nada fez para responsabilizar essas instituições no geral”.

Ainda segundo a nota dos diretores, o atual presidente do Coren-SP, Cláudio Silveira, não dá continuidade aos processos de fiscalização, sendo que os questionamentos da categoria iniciaram no começo da pandemia, quando a presidente Renata Pietro – da gestão entre 2017 e 2020 – pediu licença do cargo. Renata se afastou para concorrer ao cargo de vereadora na Câmara Municipal de São Paulo.

Questionado pelo Portal do PGE acerca das denúncias, o Coren-SP enviou nota em que “nega veementemente qualquer acusação sem provas relacionada aos procedimentos de fiscalização e que pauta seu trabalho com isonomia em relação às instituições, sejam elas públicas ou privadas”.

Segundo o Coren-SP, a especulação infundada feita pelos tesoureiros Caproni e Gonsaga é uma deturpação dos fluxos da Resolução Cofen 617/19, que definiu que a partir de 2020 os processos de fiscalização devem passar pela presidência dos Conselhos Regionais como ocorre em outros Estados e foi divulgado no site do Coren-SP.

“O presidente em exercício do Coren-SP, Cláudio Silveira, vem acompanhando de perto os processos decorrentes das fiscalizações realizadas pelo Conselho. A iniciativa, além de seguir o previsto na Resolução 617/19, que atualizou o Manual de Fiscalização do Sistema Cofen/Conselhos Regionais de Enfermagem, demonstra uma constante preocupação da autarquia com a celeridade e com a legalidade de suas ações”, afirma a nota.

Receba nossas notícias por e-mail: Cadastre aqui seu endereço eletrônico para receber nossas matérias diariamente

De acordo com o Conselho, as manifestações dos dois conselheiros não refletem o posicionamento do plenário do Coren-SP, composto por 42 conselheiros. “Reiteramos que a fiscalização do Coren-SP segue o princípio da isonomia em relação a instituições públicas e privadas e tem como norte as diretrizes e resoluções do Conselho Federal. Desde o início da pandemia até último dia 27 de outubro, foram realizadas 2.500 inspeções em todo Estado, na busca por uma assistência segura à enfermagem e à população”.

A nota finaliza destacando que as acusações dos dois conselheiros, além de infundadas, “têm claro apelo político e eleitoral. Ambos declaram-se publicamente oposição à gestão do Coren-SP e não raro proferem ataques e acusações às inspeções de fiscalização do Conselho e à boa-fé dos fiscais, sem qualquer prova”.

O Portal do PGE não conseguiu contato da presidente licenciada Renata Pietro, mas ela disse ao R7 que vem sofrendo perseguições por parte dos diretores Gonsaga e Caproni. “Lamentavelmente, sempre em ano de eleições do Coren-SP grupos políticos atacam o trabalho da fiscalização na tentativa de obterem vantagens eleitorais. Denúncias graves como essa exigem provas, que jamais foram apresentadas, tratando-se, portanto, de calúnias”.

Participe também: Grupo de WhatsApp e Telegram para receber notícias da enfermagem diariamente

Obrigado por apoiar o jornalismo profissional

A missão da Agência de notícias do PGE é levar informação confiável e relevante para ajudar os leitores a compreender melhor o universo da enfermagem. O leitor tem acesso ilimitado às reportagens, artigos, fotos, vídeos e áudios publicados e produzidos, de forma independente, pela redação da Instituição. Sua reprodução é permitida, desde que citada a fonte. O PGE é o principal responsável pela especialização de enfermagem no Brasil. Muito obrigado por escolher a Instituição para se informar.

Veja mais materias sobre:

Profissão Enfermagem, Carreira Enfermagem, Coren

Redes Sociais

Atendimento

Atendimento de segunda a sexta-feira,
das 08:00 às 18:00 horas.

Telefones:

  • 0800 003 7744
  •  

     

Endereço

Escritório administrativo - Goiás

Rua Benjamin Constant, nº 1491, Centro, Anápolis - GO.

CEP: 75.024-020

Escritório administrativo - São Paulo

Rua: Haddock Lobo, n° 131, Sala: 910, Cerqueira César.

CEP: 01414-001 , São Paulo -SP.

Fale conosco

Botão Pós Graduação Responsivo

Agenda de Cursos - Inscrições Abertas